- Cofen – Conselho Federal de Enfermagem - http://www.cofen.gov.br -

Cofen, Coren-AL e prefeito querem ampliar acesso a consulta em Arapiraca

Para ampliar a qualificação profissional da Enfermagem e o acesso à saúde da população, em especial a saúde sexual e a reprodutiva, o Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas (Coren-AL) e o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) estiveram no município de Arapiraca para conversar com o prefeito Luciano Barbosa. A cidade, que já é referência no assunto, pretende aumentar ainda mais a atuação da Enfermagem.

Arapiraca fica no agreste alagoano, a 130 km da capital. Desde 2019, quando o Coren-AL e o Cofen capacitaram profissionais para esse tipo de atendimento, o município se destacou por ser a cidade que mais insere Dispositivo Intra-uterino (DIU) intraconsulta no Nordeste. No ranking nacional fica em 5º lugar.

“Foram mais de 500 DIUs nesses últimos dois anos. Todos eles inseridos apenas por 2 profissionais de Enfermagem, com recursos limitados. Esse é um feito histórico se considerarmos que Arapiraca é a segunda maior cidade do estado, com uma população de mais de 200 mil pessoas”, afirmou Renné Costa, presidente do Coren-AL, ao lado do conselheiro Diego Albuquerque.

O prefeito Luciano Barbosa recepcionou a comitiva e garantiu que vai comprar 2 mil kits descartáveis para inserção de DIU. Mais 15 profissionais de Enfermagem estão sendo capacitados para ampliar esses atendimentos. “Arapiraca é uma referência no Sistema Único de Saúde (SUS), com uma forte cobertura na atenção básica. Esse trabalho é muito importante para qualificar ainda mais os nossos enfermeiros e enfermeiras ao planejamento familiar e um atendimento eficaz nas ações preventivas e nos cuidados com as mulheres”, completou o prefeito.

A comitiva fez, durante dois dias, visitas técnicas em Arapiraca e avaliou o projeto de perto.

Ampliação dos atendimentos – O objetivo agora é capacitar mais profissionais de Enfermagem e levar mais saúde pra mulheres alagoanas. Segundo a conselheira federal Dannyelly Costa, o projeto beneficia a categoria que amplia seu campo de atuação e também a população que passa a ter a oferta de métodos no planejamento reprodutivo de forma ampla e universal para mulheres e homens através do SUS, contribuindo para uma Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher e do Homem.

“Estamos lutando para ampliação desse projeto que nasceu em 2019 e já mudou a vida de tantas famílias. Agora queremos que ele chegue a mais mulheres em Arapiraca e nas 10 regiões de saúde de Alagoas”, afirmou Dannyelly.

Raio X – Promover o acesso qualificado e seguro deve ser um objetivo comum de gestores e profissionais de saúde, da rede e de serviços de saúde, de instituições governamentais e não-governamentais e da própria sociedade. O presidente do Conselho Municipal de Saúde de Arapiraca, o enfermeiro Eduardo Araújo, esteve presente na reunião e destacou que a importância da consulta vai muito além.

“Já identificamos nas consultas diversas outras situações de saúde, desde uma alteração na tireoide ou presença de nódulos mamários indicativos de câncer, situações de violência entre diversas outras. Precisamos entender que a mulher é muito mais que apenas um método contraceptivo, na consulta mostramos a ela todas as possibilidades e acabamos identificando juntos quais os necessidades que ela enfrenta na sua vida e que podemos cuidar juntos”, explicou Eduardo, destacando ao importância social dos atendimentos realizados pela Enfermagem.

Empoderamento – A enfermeira Maria Luiza Bezerra, que realiza os atendimentos em Arapiraca, destacou que em apenas 4 meses, o projeto aumentou em mais de 200% a inserção de DIU em Alagoas, superando a quantidade de inserção nos últimos 4 anos. “Coren-AL foi um parceiro muito grande nessa conquista do enfermeiro na consulta ginecológica com inserção do DIU. Tornamo-nos referência no Brasil todo por causa desse projeto que o Regional trouxe com o Cofen para Alagoas”, afirmou.

O conselheiro federal Daniel Menezes, relator do projeto do Cofen para ampliar as consultas pela Enfermagem com foco na saúde sexual e reprodutiva, também esteve presente no encontro e veio pessoalmente a Alagoas para conhecer de perto como o projeto está impactando na vida das pessoas. “Esse projeto empodera o trabalho da Enfermagem e qualifica o acesso à saúde da população”, destacou.

O projeto – O Coren-AL sempre lutou para que os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) sejam atendidos na sua totalidade. Um deles é a universalização, que determina que a saúde e suas ações e serviços devem ser garantidos a todos. Por isso, em 2019 o Coren-AL, em parceria com o Cofen e a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (Abenfo) seccional Alagoas, realizou uma capacitação para 11 enfermeiros em Penedo e Arapiraca. A qualificação foi referente às consultas ginecológicas com o foco na saúde reprodutiva e na inserção do DIU por enfermeiros obstetras. O objetivo era incluir a Enfermagem no fluxo de atendimento de saúde reprodutiva, por meio do SUS.

Inserção de DIU é legal – A inserção do DIU dentro da consulta de Enfermagem deve ser garantida como direto de todas as mulheres, não sendo um ato privativo do médico, tampouco do médico ginecologista. O procedimento requer um profissional de saúde devidamente habilitado e treinado.

O Cofen, o Coren-AL e a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhecem o papel legal do enfermeiro como um profissional da equipe de saúde com habilidades e competência para atuação no campo da saúde sexual e reprodutiva.

Por isto, essas instituições afirmam, de modo abrangente, que profissionais de saúde treinados e capacitados podem realizar tal procedimento. Estudos científicos internacionais comprovam que a inserção do DIU pode ser executada, com o mesmo nível de habilidade, por enfermeiro.

O DIU é o método mais usado no mundo, mas no Brasil menos de 2% das mulheres utilizam. A prática por enfermeiros é rotineira em diferentes sistemas de Saúde, incluindo nações como o Reino Unido e Canadá, e tem caráter ainda mais urgente e essencial nas nações em desenvolvimento.