09/04/2018

Comissão avalia primeiro ano do Mestrado Profissional Cofen-Capes

Maior programa de fomento ao Mestrado Profissional no Brasil já viabilizou 140 vagas e vai formar 500 profissionais ao longo de quatro anos

Comissão está reunida na sede do Cofen

Comissão de Pós-Graduação Stricto Sensu do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) está reunida, nesta segunda e terça-feira (9 e 10/54), para discutir e avaliar o andamento da parceria Cofen/Capes, maior programa de fomento ao Mestrado Profissional no Brasil. A comissão acompanha, ainda, o Mestrado Institucional, que capacita empregados públicos efetivos do Sistema Cofen/Conselhos Regionais, por meio de parceria com a Universidade de Brasília.

O coordenador da comissão, Joel Mancia,  deu boas-vindas a Isabel Mendes, nova integrante. Professora titular da Escola de Enfermagem da USP – Ribeirão Preto, Isabel é uma das pesquisadoras de maior produtividade e relevância do país (CNPQ 1A).

Professora Isabel Mendes, mais recente integrante da comissão

“A iniciativa está consolidada em um projeto amplo, que viabilizou 140 vagas em 16 programas de mestrado profissional, com amplo impacto na prática profissional de Enfermagem”, avalia Joel Mancia. “Neste momento, buscamos avaliar as propostas de produtos e intervenções dos alunos dos cursos de mestrado e sua adequação ao foco Sistematização da Assistência de Enfermagem”, explica. O programa Cofen-Capes vai formar 500 mestres ao longo de quatro anos.

Maior programa de financiamento do Brasil – Para presidente da Capes, Abílio Neves, o convênio com o Cofen inaugurou “uma nova etapa de relacionamento da Capes com os órgãos de fiscalização profissional”. “Com o mestrado, buscamos reduzir o descompasso entre a mão-de-obra qualificada existente e as necessidades da Saúde Coletiva, fortalecendo o Sistema Único de Saúde (SUS)”, explica o presidente do Cofen Manoel Neri. “Acreditamos que a boa formação é essencial para a qualidade da assistência e valorização da Enfermagem. Tornar possível o maior programa de mestrado profissional do Brasil é um orgulho de nossa gestão e retorno da contribuição dada pelo profissional ao Sistema Cofen/Conselhos Regionais”, ressaltou Manoel Neri.

Fonte: Ascom - Cofen