18/01/2019

Coren-AM presta apoio a enfermeira agredida em Manaus

Na linha de frente do atendimento, os profissionais de Enfermagem enfrentam situações de violência física, verbal e psicológica.

Presidente do Coren, Sandro André, e conselheiras integrantes do Comitê de Combate à Violência ao Profissional da Enfermagem estiveram no hospital hoje (18/1)

O Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM), vem a público repudiar a agressão sofrida por uma enfermeira, na noite de terça-feira (16/01), dentro do SPA, Hospital e Maternidade Chapot Prevost, localizado na rua Getúlio Vargas, no bairro Colônia Antônio Aleixo, na Zona Leste de Manaus.

O presidente do Coren, Sandro André, e as conselheiras Sullen Couto e Sirleia Teles, que integram o Comitê de Combate à Violência ao Profissional da Enfermagem, estiveram na manhã de quinta-feira (17/01) no hospital onde ocorreu a agressão. Foram recebidos pela diretora da unidade Sandra Queiroz e pela gerente de Enfermagem Keylah Moraes, que se mostraram empenhadas em resolver a situação da enfermeira agredida Jakelene Sampaio, em parceria com os órgãos que irão atuar no caso.

Situações de violência em ambiente de trabalho devem ser notificadas ao respectivo Coren. Sandro André informou que todas as providências já estão sendo tomadas junto com a Procuradoria Geral para realizar tratativas administrativas junto a SUSAM e a Policia Civil, e oferecer apoio à profissional.

Na linha de frente do atendimento, os profissionais de Enfermagem enfrentam situações de violência física, verbal e psicológica. Apenas 29% dos profissionais de Enfermagem se sentem seguros em seus ambientes de trabalho, segundo dados da Pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil (Cofen/Fiocruz – 2015). A pesquisa revela que 19,7% já sofreram violência no ambiente de trabalho, sendo: 66,5% violência psicológica, 26,3% verbal e 15,6% violência física. Os mais acometidos por essa violência são os auxiliares e técnicos de Enfermagem.

Motivação do ataque  – A agressão, conforme relatos apurados, se deu de forma física e verbal, no momento em que a enfermeira tentava realizar um procedimento de acesso venoso. Irritado pelo fato da enfermeira não conseguir fazer o procedimento, o paciente desferiu um soco na boca dela, causando hematomas nos lábios.

A polícia militar foi acionada, comparecendo ao local, e ao tomar conhecimento dos fatos a PM conduziu o agressor até a delegacia, onde ele assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelos crimes de desacato e vias de fato.

Jakelene conta estar muito satisfeita pela rapidez do Coren na atuação do fato. “Fiquei surpresa com a visita do presidente, não esperava que as providências seriam tomadas tão rápido, ontem à noite fiquei sabendo sobre a nota de repúdio nas redes sociais do Coren sobre o caso, fiquei bastante contente com apoio recebido pelo Conselho”, agradeceu.

Fonte: Coren - AM