16/05/2017

Coren-BA promove I Seminário Enfermagem em Cuidados Paliativos

O Seminário reuniu profissionais de Enfermagem da Bahia e discutiu a qualidade de vida como foco do cuidado

Para Rudval Souza, qualidade de vida é sinônimo de cuidados paliativos

Na última sexta-feira (12/5), aconteceu o I Seminário Enfermagem em Cuidados Paliativos, no auditório do Hospital Aliança, em Salvador. O evento foi promovido pelo Grupo de Trabalho (GT) em Cuidados Paliativos do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) com o objetivo de fortalecer e estimular as práticas paliativas na comunidade da Enfermagem na capital.
Nos últimos anos, o movimento paliativista tem crescido no mundo todo e com o envelhecimento da população é cada vez mais necessário discutir e pensar o conforto, o cuidado e a qualidade de vida de pessoas com a saúde comprometida e em situação de fragilidade.

As várias palestras que aconteceram pela manhã e pela tarde de sexta exploraram temas como os cuidados paliativos na atenção básica, no atendimento domiciliar, no hospital, a desospitalização, as competências da enfermagem nos cuidados paliativos e as perspectivas de cada área profissional que compõe a equipe multidisciplinar nos cuidados paliativos.

Encarar a morte com sensibilidade e leveza é fundamental para o profissional de cuidados paliativos, já que seu trabalho visa aumentar o conforto, a qualidade de vida do paciente, aliviar seu sofrimento e minimizar sua tristeza, mesmo quando não há mais o que fazer para evitar a morte.

Para o professor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Rudval Souza, a morte deve deixar de ser encarada como um tabu. Ele explica que muitas pessoas se sentem incomodadas em falar sobre a morte, quando, na verdade, deveriam encará-la com naturalidade e leveza, pois morrer faz parte do ciclo da vida e é um acontecimento tão importante quanto nascer. “Como eu quero morrer? Devemos nos fazer esse questionamento, enquanto profissionais, pois a forma como eu penso e encaro a morte para mim irá interferir na forma como eu vou cuidar do meu paciente em terminalidade”, afirmou Rudval em sua palestra.

Fonte: Coren-BA