12/09/2018

Coren-DF realiza seminário sobre Saúde da Mulher

Evento, gratuito e aberto ao público, vai subsidiar a implementação da Comissão Técnica de Saúde da Mulher no Coren-DF

“Comissão de Saúde da Mulher do Coren-DF, que vai promover melhoria na assistência ao nascimento, mediante ações educativas e de apoio à fiscalização”, afirma Herdy Alves

O Conselho Regional de Enfermagem do Distrito Federal (Coren-DF) realiza, na próxima segunda-feira (17/9), o 1º Seminário para implementação da Comissão Técnica de Saúde da Mulher. Aberto a profissionais de Enfermagem, médicos obstetras, responsáveis técnicos das maternidades e dos centros obstétricos do Distrito Federal, o seminário busca informar e debater processos de trabalho na configuração de cuidado à saúde das mulheres. A participação é gratuita, mediante inscrição online.

“O seminário é uma etapa importante para a implementação da Comissão de Saúde da Mulher do Coren-DF, que vai promover melhoria na assistência ao nascimento, mediante ações educativas e de apoio à fiscalização”, afirma Herdy Alves, coordenador da comissão de Saúde da Mulher do Cofen, que vai participar da mesa redonda sobre formação, regulação e prática de enfermagem obstétrica. Estarão presentes representantes do Cofen,  da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras do Distrito Federal (ABENFO-DF), do Projeto Apice On, do Ministério da Saúde e da Frente Única da Enfermagem.

Os países como os melhores indicadores de assistência materno-infantil têm em comum uma atuação qualificada das enfermeiras obstétricas. A assistência dessas profissionais durante o trabalho de parto está associada ao aumento dos índices de partos normais, redução das intervenções, das complicações e da mortalidade.

No Brasil, o Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem é parceiro na luta pela humanização e autonomia profissional, por meio de sua rede de Comissões de Saúde da Mulher. O Cofen participou da definição das Diretrizes para Parto Normal no Brasil.  Com a Resolução 516/2016, unificou marcos normativos, promovendo a qualificação da Enfermagem Obstétrica. A atuação dessas profissionais é um dos pilares da Rede Cegonha, estabelecida pelo Ministério da Saúde, e seu credenciamento pelas operadores de planos de Saúde se tornou obrigatório em 2015.

Legislação – A assistência à gestante, o acompanhamento do trabalho de parto e a execução do parto sem distócia estão entre as atribuições dos enfermeiros generalistas enquanto integrantes das equipes de Saúde, conforme o artigo 11 da Lei 7498/86. Os enfermeiros obstétricos e obstetrizes, especialistas em parto normal, têm autonomia profissional na assistência, conforme o artigo 9º do decreto 94.406/87.

Serviço

  • Seminário para implementação da Comissão Técnica de Saúde da Mulher
  • Data: 17 de setembro
  • Horário: 8h a 18h
  • Local: Uniceub (707/907, bloco 3, entrada C, Asa Norte – Brasília)
  • A participação é gratuita. Faça sua inscrição online

Fonte: Ascom - Cofen