- Cofen – Conselho Federal de Enfermagem - http://www.cofen.gov.br -

Coren-RJ lança o Coletivo Negro da Enfermagem Fluminense

Projeto será lançado nacionalmente no CBCENF

O Conselho Federal de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ) lançou, na última sexta-feira (05), o Coletivo Negro da Enfermagem Fluminense (Conegren).

Orientado pela necessidade de intervir num cenário abusivo e insalubre, o projeto tem o objetivo de apontar ideias para a construção de políticas públicas voltadas à saúde física e mental da população negra e parda, além de debater situações que atingem os profissionais da enfermagem, vítimas de discriminação, assédio e injúrias raciais no exercício de suas funções.

O Conegren será lançado nacionalmente durante o CBCENF, que trará um seminário estadual em breve e será estendido às instituições, salas de aula de cursos técnicos e faculdades de Enfermagem para convidar as novas gerações a abraçarem a causa.

Coordenado pelo enfermeiro do Coren-RJ, Glauber Amâncio, o Conegren tem como referência para a sua criação uma realidade apontada pela pesquisa Perfil da Enfermagem, que enumera o percentual de 60% de negros reconhecidos na categoria. O lançamento foi prestigiado por autoridades da Enfermagem e de outros segmentos, intelectuais, profissionais e estudantes, de alguma forma ligados à militância. A presidente do Coren-RJ, Ana Lúcia Teles ao lado da vice-presidente do Cofen, Nádia Ramalho, receberam cerca de 100 convidados.

A vice-presidente do Cofen esteve presente

Estiveram presentes a deputada enfermeira Rejane, membro do Fórum de Diálogo de Mulheres Negras da Alerj; Sônia Alves, a diretora do Centro de Educação em Enfermagem da ABen-RJ; o babalaô Ivanir dos Santos, defensor do direito constitucional à liberdade religiosa; a ativista Cláudia Vitalino, da Unegro – União de Negras e Negros pela Igualdade e Eloiza Domingos, do Coletivo de Negritude Maria Soldado e aluna de enfermagem EEAP/UNIRIO. Em sua maioria, as falas dos inscritos relataram experiências como alvos de racismos, cujas cicatrizes geraram reações positivas, atitudes progressistas, tomadas de decisão e investimentos nos avanços culturais e desenvolvimento pessoal, para vencer o desrespeito e a exclusão.

O lançamento do Conegren foi colorido e inovador. A começar pela interpretação do Hino Nacional Brasileiro, que na gravação ganhou um levada afro, marcada pela percussão. Convidados ganharam tiras de chita que viraram lindos turbantes. A decoração também seguia o padrão simples e com muita cor. De quebra, o bufê Coisinhas de Baianas serviu delícias como mini acarajés e abarás, caldinhos e doces baianos. Decoração, bufê e brindes foram todos doados, sem que tenha ocorrido qualquer despesa extra pelo Coren-RJ no evento.

A gestão 2018/2020 do Coren reafirma o compromisso de estar junto com a categoria de Enfermagem, seja quem for ela e onde estiver.