04/12/2017

Defensor do Parto Humanizado recebe título de Doutor Honoris Causa da UnB

Enfermeira obstétrica Heloísa Lessa representará Odent hoje (4/12) na cerimônia

“Para mudar o mundo, é preciso primeiro mudar a forma de nascer”

Michel Odent

Internacionalmente conhecido por sua defesa do parto humanizado, o médico francês Michel Odent será homenageado, nesta segunda-feira (4/12), com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Brasília (UnB). A outorga da distinção foi aprovada por aclamação na 430ª reunião do Conselho Universitário (Consuni) da UnB.

A cerimônia é aberta ao público e será transmitida pela TV UnB. A enfermeira obstétrica Heloísa Lessa representará Odent na cerimônia, como representante e idealizadora do Instituto Michel Odent. Antes da solenidade, às 19h30, acontecerá, a roda de conversa “O pensamento de Michel em nossas práticas”, com a presença de Heoísa Lesa, Richardo Chaves, Alberto Guimarães e Ana Cynthia Beraldi, entre outros. A roda, realizada no auditório 3 da Faculdade de Ciência da Saúde, é aberta ao público.

Odent tem dedicado a vida ao estudo do “período primal”: a vida fetal, parto e o primeiro ano de vida. Com 14 livros e mais de 50 artigos científicos publicados, Odent foi pioneiro no estudo e defesa da amamentação na primeira hora de vida do bebê e em temas como “teoria do controle da dor” e sua aplicação durante o parto.

Seus estudos destacam antagonismo entre os hormônios da família da adrenalina, que são liberados a partir da atividade do neo-córtex, e a liberação dos “hormônios do amor” a partir do cérebro primitivo que são necessários para o parto e nascimento assim como para outros eventos da vida sexual como a amamentação e a própria relação sexual. Compreendendo o parto e nascimento como processo involuntário comandado pelo cérebro primitivo, Odent propõe que a principal função de quem assiste aos partos é proteger o ambiente para que as mulheres possam liberar os hormônios necessários em especial a ocitocina e as endorfinas, que sabemos são hormônios tímidos que dependem do ambiente para sua liberação.

Algumas “necessidades básicas das mulheres em trabalho de parto”, segundo Odent:

  • Luz: deve ser baixa e não clara, a luz estimula a atividade do neocórtex.
  • Deve-se evitar a Linguagem verbal, pois ela é forte estimulante do neocórtex
  • A mulher deve se sentir segura para que possa liberar o “coquetel de hormônios do Amor”
  • Evitar situações que impliquem liberação de adrenalina como frio ou situações que possam provocar medo
  • Privacidade – não se sentir observada é fundamental para a liberação hormonal

 

 

Fonte: Ascom Cofen (com informações do Instituto Michel Odent e UnB)