09/03/2017

Diretrizes do Parto Normal são lançadas no Dia Internacional da Mulher

A Enfermagem tem papel fundamental na qualificação da assistência ao parto e no acesso ao DIU, também anunciado na cerimônia

Ministro da Saúde cumprimenta conselheira Fátima Sampaio

As Diretrizes do Parto Normal foram lançadas oficialmente na tarde desta quarta-feira (8/3), em cerimônia no Palácio do Planalto. Pactuadas por atores técnicos e sociais, o documento é um marco na qualificação da assistência ao nascimento no Brasil.

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) foi representado pela conselheira federal Fátima Sampaio, que participou do grupo de trabalho responsável por discutir e pactuar as diretrizes. A cerimônia teve a participação do presidente da República, Michel Temer, e do ministro da saúde, Ricardo Barros, entre outras autoridades.

As diretrizes recomendam o direito da mulher de definir seu plano de parto, além de reforçar o direito legal a acompanhante, orientações e benefícios do parto normal. O documento promove boas práticas obstétricas, reduzindo a morbidade e risco de internação na UTI .“A mulher em trabalho de parto deve ser tratada com respeito”, afirmou o ministro.

Diretrizes foram pactuadas por atores técnicos e sociais

Para Maria Esther Vilela, coordenadora da saúde da mulher no Ministério da Saúde, as diretrizes ajudarão a qualificar a atenção ao parto normal e ao nascimento no país. “Essas instruções vão orientar os profissionais, gestores e até mesmo a mulher para o melhor procedimento a ser aplicado no momento”, destacou.

Na solenidade, o ministro também apresentou o projeto que é a ampliação da oferta do DIU de cobre a mulheres, que podem ser disponibilizados nos locais onde acontecem os partos. Maria Esther destaca que o Ministério da Saúde está começando a normatizar o uso do método contraceptivo nas maternidades, para ser ofertado imediatamente em mulheres no pós-parto, pós-cesárea e pós-abortamento.

Além das boas práticas que são recomendadas, a utilização dessas normas por profissionais de Enfermagem é muito importante, na medida em que é um direcionamento para uma prática mais segura, baseada em evidências científicas. “Agora que foram publicadas as Diretrizes do Parto Normal, temos que buscar divulgar cada vez mais, especialmente, no que diz direito ao profissional que assiste a mulher e ao local”, ressalta a conselheira federal, Fátima Sampaio.

Fonte: Ascom - Cofen