17/01/2022

Brasil recebe 2º lote de vacinas para crianças de 5 a 11 anos

Cofen defende eficácia e segurança dos imunizantes nas crianças

Remessa com vacinas pediátricas da Pfizer chega em Viracopos, em Campinas

O Brasil recebeu neste domingo (16/01) o segundo lote de vacinas da Pfizer contra covid-19 para crianças de 5 a 11 anos. Segundo a farmacêutica norte-americana, a remessa tem 1.248.000 doses.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 1.148 crianças de 0 a 9 anos de idade morreram de covid-19 no Brasil. Entre 10 e 14 anos, foram 273 óbitos por causa do novo coronavirus. Mas ainda que fosse uma morte, a urgência ainda seria necessária. Além disso, os pequenos são transmissores potenciais e de risco, principalmente em relação aos avós.

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) defende a obrigatoriedade da vacinação de crianças, visto que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso da vacina da Pfizer contra a covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade no Brasil. “Além de serem impactadas pela falta de escola e pela perda de familiares, nossas crianças ainda transmitem o vírus Sars-Cov-2. Portanto, o vírus deixa de ser uma questão de saúde para tornar-se um fator social,” comenta a presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Betânia Santos.

A Pfizer confirmou a chegada do lote às 11h deste domingo. O voo com imunizantes saiu de Amsterdam, na Holanda, e as vacinas foram descarregadas no aeroporto com auxílio da Receita e Polícia Federal. Em seguida, haverá transporte até um centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP), antes das entregas aos estados.

O número de doses do segundo lote é igual ao do primeiro, que chegou ao país em 13 de janeiro. Além disso, a Pfizer, por meio de assessoria, confirmou que a empresa prevê envio ao Brasil de mais 1.818.000 vacinas em 27 de janeiro, o que deve fazer o total entregue no mês chegar a 4.314.000.

Davi Seremramiwe Xavante foi a primeira criança vacinada no Brasil

O indígena Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, foi a primeira criança vacinada contra a Covid-19 no Brasil. Ele recebeu a dose na sexta, durante evento simbólico organizado pelo governo de São Paulo.

Imunização para crianças – A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, em 16 de dezembro, a vacinação de crianças desta faixa etária. Já em 5 de janeiro, o Ministério da Saúde informou que não será exigida receita médica para vacinar o grupo.

Os estados começaram a se organizar para o esquema de vacinação. O governo de São Paulo, por exemplo, anunciou na quarta-feira a abertura do pré-cadastro para início da imunização de crianças.

Em 10 de janeiro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou que a Pfizer antecipará as entregas de 600 mil doses de vacinas para crianças. Com isso, o total de imunizantes previstos para janeiro sobe dos 3,7 milhões, estimados inicialmente, para 4,3 milhões.

Veja abaixo o cronograma:

Remessas entregues

  • Quinta-feira (13) – 1.248.000 doses (lote 1)
  • Domingo (16) – 1.248.000 doses (lote 2)

 

Remessas previstas

  • 27 de janeiro – 1.818.000 doses (lote 3)

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 20,5 milhões de crianças nessa faixa etária contempladas pela vacinação.

O envio das doses faz parte do acordo firmado em 29 de novembro entre o governo federal e a farmacêutica, que estipula a disponibilização de 100 milhões de doses ao Brasil ao longo de 2022.

A negociação também prevê que o Ministério da Saúde tenha a opção de aumentar o número de doses previstas para serem entregues ao país em até 50 milhões de vacinas adicionais, elevando o número total para 150 milhões de doses neste ano.

“O contrato prevê a possibilidade de fornecimento de versões modificadas do imunizante, que poderão ser eventualmente desenvolvidas caso necessário, e versões para diferentes faixas etárias, conforme solicitação por parte do Ministério da Saúde”, diz nota da Pfizer.

Fonte: G1 Notícias, com informações Ascom - Cofen