08/06/2011

Campanha nacional para vacinar crianças contra paralisia e sarampo começa no próximo dia 18

Investimento total é de R$ 213,5 milhões. Meta é vacinar 95% do público-alvo O Sistema Único de Saúde (SUS) inicia, em 18 de junho, a primeira etapa de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite de 2011.

Investimento total é de R$ 213,5 milhões. Meta é vacinar 95% do público-alvo



O Sistema Único de Saúde (SUS) inicia, em 18 de junho, a primeira etapa de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite de 2011.


Todas as crianças menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) devem tomar as duas gotinhas para prevenir a paralisia infantil. A segunda fase começa em 13 de agosto. Nesta data, os pais ou responsáveis devem levar as crianças novamente aos postos de vacinação. Em cada etapa, a meta é vacinar 95% do público-alvo, de 14.148.182 crianças. O investimento total é de R$ 66,8 milhões – R$ 46,6 milhões com a compra e distribuição das vacinas e outros R$ 20,2 milhões em transferências aos fundos de saúde estaduais e municipais.


Para lembrar pais e responsáveis sobre a importância de levarem as crianças a um dos 115 mil postos de vacinação, nas duas datas, campanha publicitária será veiculada a partir do próximo dia 12, em todo o País.


O último registro de poliomielite ocorreu em 1989, na Paraíba. Desde 1994 o País tem o certificado emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de eliminação da doença. A continuidade da vacinação, entretanto, é para impedir a importação de casos oriundos de algum dos 26 países que ainda registram a doença. Quatro deles têm transmissão constante: Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão.


Imunização contra sarampo – Em 2011, a campanha de vacinação contra a poliomielite terá uma novidade. No início da primeira etapa, em 18 de junho, além das duas gotinhas contra a paralisia infantil, municípios de oitos estados também vão vacinar crianças contra sarampo: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Bahia, Ceará e Alagoas.


Nesses municípios, todas as crianças entre um ano e menores de sete anos (6 anos, 11 meses e 29 dias) devem vacinar contra o sarampo – mesmo que já tenham sido vacinadas antes. A partir de 15 de junho, será veiculado um comunicado sobre a vacinação do sarampo.


Os municípios dos 18 estados restantes mais o Distrito Federal irão vacinar as crianças dessa faixa etária contra o sarampo em 13 de agosto (começo da segunda etapa). O comunicado em rádio e tevê, nessas unidades, será veiculado em agosto.


Esta vacinação contra o sarampo é chamada “campanha de seguimento” e costuma ocorrer em intervalos de três a cinco anos, para reforçar a proteção das crianças contra a doença e manter o Brasil sem transmissão disseminada do vírus.


Um surto de sarampo na Europa, que desde o início do ano já tem mais de 6,5 mil casos suspeitos notificados, fez com o que o Ministério da Saúde, juntamente com estados e municípios, antecipasse a ação em áreas prioritárias. Foram levados em conta três critérios: maior fluxo turístico, densidade populacional e localidades com menores coberturas da vacina tríplice viral nos últimos anos.


Nas duas fases da campanha contra o sarampo, a meta é vacinar 95% da população alvo, que é de 17.094.835 crianças. Para as duas etapas, o ministério investiu R$ 146,7 milhões na compra e distribuição das doses, agulhas e seringas e repassou mais R$ 16,3 milhões aos estados e municípios.