15/11/2018

Conselho Federal de Enfermagem realiza missão técnica na França

Missão busca conhecer e compartilhar experiências, especialmente nas Práticas Avançadas de Enfermagem

Presidente do Cofen, Manoel Neri, proferiu palestra na Universidade de Ruen

A convite do Instituto de Formação em Saúde e Enfermagem de Rouen, na França, uma comissão do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), liderada pelo presidente Manoel Neri, esteve, nesta semana, em missão técnica no país, para compartilhar experiências e qualificar a proposta de implementação da Enfermagem de Práticas Avançadas no Brasil.

A proposta brasileira tem foco na ação multiprofissional na Atenção Básica, e está sendo desenvolvida pelo Cofen, em parceria com a OPAS/OMS.

Para o presidente Manoel Neri, “cada país enfrenta desafios específicos à sua realidade, por isso é importante conhecer e avaliar as boas práticas que estão sendo aplicadas no mundo.” A Enfermagem de Práticas Avançadas já é uma realidade em países desenvolvidos.

A delegação, que conta com a presença dos conselheiros Gilney Guerra e Osvaldo Albuquerque, esteve na cidade de Rouen, nos dias 12 e 13/11, para fazer parte de um “Colóquio sobre Práticas Avançadas”, tambem realizaram visita técnica ao Hospital Charles Nicolle e por fim, participaram de uma aula no Instituto de Formação em Saúde e Enfermagem de Rouen, sobre as especialidades de Enfermagem e Anestesia na França.

Delegação é composta pelo presidente do Cofen, pelos conselheiros Gilney Guerra e Osvaldo Albuquerque e pelo assessor Magno Guedes

Na oportunidade, o presidente do Cofen, Manoel Neri foi convidado a proferir uma palestra para os estudantes e professores da Universidade, juntamente com o presidente do Conselho Nacional de Enfermagem da França, Patrick Chamboredon. Neri falou sobre a Enfermagem brasileira e o papel dos Conselhos de Enfermagem.

Na quarta-feira (14), em Paris, a delegação participou do Colóquio de Ordens de Profissões Regulamentadas da França, para conhecer o papel e autonomia desses órgãos que se assemelham aos Conselhos do Brasil.

Para a presidente da Ordem dos Advogados de Paris, Marie-Aymée Peyron, “o papel dessas ordens é fundamental para manutenção do estado democrático de direito e garantia do atendimento de qualidade à população. Para tanto, é preciso garantir a independência e a autonomia deste órgãos perante o poder público”. Marie coordena o CLIO (Comite das Ordens Profissionais). Na França, diferentemente do Brasil, os dirigentes das ordens eram designados pelo governo até 2009, quando se iniciou o processo eleitoral de indicação.

 

Fonte: Ascom - Cofen