12/11/2019

Encontro Nacional discute caráter educativo das Comissões de Ética

Encontro fez parte da programação do pré-congresso do 22º CBCENF

Encontro reuniu profissionais de vários estados

A Câmara Técnica de Instrumentalização e Formação de Comissões de Ética do Coren-PR (CTICEEn-PR) comandou nesta segunda-feira (11) durante a programação do pré-congresso do 22º CBCENF, o encontro nacional de Comissões de Ética de Enfermagem. O encontro reuniu profissionais de vários estados, muitos dos quais ainda não participam de comissões em seus serviços, além de representantes de outros regionais, como SC, SP, GO, RS e BA.

A presidente do Coren-PR, Simone Peruzzo, abriu os trabalhos e destacou as ações realizadas pela Câmara Técnica no esforço de divulgar a resolução que determina a implantação das comissões e apoiar os serviços em sua implantação. “Em 2016, havia apenas oito comissões implantadas no Paraná e atualmente já são 67; um resultado alcançado pelo esforço dos membros da câmara técnica em investir em educação permanente e no apoio às equipes de enfermagem para a implantação”, disse.

Na palestra inicial, conduzida pela coordenadora da Câmara Técnica de Legislação e Normas do Cofen, Cleide Mazuela, foram apresentadas as leis de interesse da Enfermagem, que vêm desde 1955 – Lei 2.604/55, que regulamenta o exercício da Enfermagem; até as leis e resoluções que orientam a prática da profissão com ética e responsabilidade.  “É essencial que todo profissional de enfermagem conheça as leis que regulamentam sua prática e tenham o Código de Ética como seu companheiro de trabalho, onde estão descritos os princípios éticos, legais e técnico-profissionais de nossa área de atuação”, ressaltou.

No painel “Desafios e estratégias dos Conselhos Regionais no acompanhamento das Comissões de Ética de Enfermagem”, foram apresentadas as atividades desenvolvidas no Coren-GO, com Danielly Silvestre, Coren-RS, enfermeira Nelsi Dias, e Coren-SP, Edir Gonsaga. A tônica principal dos participantes foi destacar o papel das Câmaras Técnicas em incentivar a formação de novas comissões e sua função junto à categoria. “A comissão é o elo entre os profissionais de enfermagem, a instituição e o Conselho, com a função de proteger os profissionais que atuam nos serviços de saúde”, disse Danielly.

Já o conselheiro do Coren-SP, que além de participar da Câmara Técnica, também é membro da comissão de ética no hospital em que atua, relatou o processo de aprendizado que desenvolveu ao ser indicado para a comissão. “Percebi que não conhecia o código de ética de minha profissão e fui estudar, o que me trouxe só benefícios. Entendo que nossa função principal é atuar preventivamente para resolver situações antes que se tornem um processo ético”, destacou Edir.

Experiências – No painel de experiências das comissões foram apresentadas soluções encontradas nos serviços para divulgar a importância das comissões, assim como a Lei que determina sua implantação.

O enfermeiro Percival Vitorino, do Hospital Universitário de Londrina, apresentou vídeos e materiais gráficos desenvolvidos pela equipe da comissão, que, segundo ele, contribuíram para divulgar o trabalho desenvolvido.

“Somos eleitos pelos nossos pares e temos consciência da importância do trabalho desenvolvido. Trazer ao Congresso um pouco dessa experiência agrega muito. Foi importante ouvir o relato de outros estados e verificar que estamos alinhados, construindo algo sólido em favor do exercício da Enfermagem”, finalizou Percival.

Paraná – Os trabalhos foram conduzidos pelas coordenadoras da CTICEEn-PR, as enfermeiras Maria Paganini e Camila Silva.

Fonte: Coren-PR