24/06/2020

Enfermagem ocupa cargos estratégicos de liderança no Paraná

Lideranças femininas da Enfermagem que estão em destaque, principalmente neste momento de pandemia

A Enfermagem nunca vivenciou a visibilidade da categoria no Paraná como nesta fase de pandemia. Em cargos importantes para o Sistema Único de Saúde (SUS), destacam-se dois grandes nomes de comando: a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa/PR), enfermeira Maria Goretti Lopes, e a secretária municipal de Saúde da capital do Estado, enfermeira Márcia Huçulak. Ambas, lideranças femininas da Enfermagem que agora, mais do que nunca, em um momento de pandemia, estão em destaque nas posições que ocupam.

“A formação generalista da enfermagem nos permite além do assistir, também cuidar das pessoas. Desenvolvemos um olhar voltado para o trabalho em equipe balizado pela ética, o respeito e a solidariedade. Por isso, vemos cada vez mais colegas da área assumindo cargos estratégicos, mostrando, por meio de ações planejadas e resolutivas, muita competência e revelando a capacidade da Enfermagem em transformar realidades em prol da sociedade”, destaca a presidente do Conselho Regional do Paraná (Coren-PR), enfermeira Simone Peruzzo. Ainda segundo a presidente, o que faltam são condições adequadas de trabalho que possibilite à categoria se dedicar de acordo com o que é preconizado desde a formação, para a conquista do devido reconhecimento.

Diretora de Atenção e Vigilância em Saúde do Paraná, enfermeira Maria Goretti Lopes e Simone Peruzzo, presidente do Coren-PR

Estado – Desde o início do atual governo do Paraná, Maria Goretti Lopes está à frente de um dos mais importantes cargos da Secretaria Estadual da Saúde. Atuando como diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, em síntese, a enfermeira cuida do monitoramento de situações de saúde do estado paranaense e da gerência da atenção primária de todo o Paraná – um estado com 399 municípios e mais de 11 milhões de habitantes.

“Temos que usar a nossa força e o nosso saber para corresponder às expectativas que estamos, inclusive, criando. É neste momento de pandemia que a sociedade está percebendo o valor da Enfermagem. Nunca vimos tantas homenagens destacando essa grandiosidade de nossa profissão, que é relacional, cuidar das pessoas, dar atenção, usar a escuta ativa, fazer o nosso melhor por meio dos saberes técnicos e científicos, ocupando os espaços de forma pró-ativa”, orienta Maria Goretti.

Maria Goretti também já integrou a delegação do Brasil na Assembleia Mundial da Saúde da Organização Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça. Presidiu o Conselho Estadual de Saúde do Paraná e participou do Conselho Nacional de Saúde. Militante do Movimento de Mulheres, fundou a ONG Espaço Mulher; participou da coordenação do Comitê Multipartidário de Mulheres e é filiada à Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Reprodutivos.

Também contribuiu com a organização dos programas Saúde da Família, Mãe Curitibana, DST/Aids, Alfabetizando com Saúde, dentre outros, quando foi cedida pelo Governo do Estado à Prefeitura de Curitiba. Já presidiu o Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Paraná e a Associação Brasileira de Enfermagem a nível nacional, fez parte da Federação Pan-Americana de Profissionais de Enfermagem, como secretária-geral, e foi diretora-executiva do Coren-PR. Enquanto presidente da ABEn nacional, recebeu o prêmio Anna Nery, oferecido pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).

Secretária municipal de Saúde de Curitiba, Enfermeira Márcia Huçulak e Simone Peruzzo, presidente do Coren-PR

Capital – A atual secretária municipal de Saúde de Curitiba é a Enfermeira Márcia Huçulak. À frente do cargo desde julho de 2017, ela é responsável por cuidar da Saúde da capital do Estado, onde vivem mais de 1,9 milhão de habitantes. Formada em Enfermagem pela PUC-PR, também é especialista em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/Fundação Oswaldo Cruz e mestre em Planejamento e Financiamento em Saúde pela Universidade de Londres.

“Eu tenho 37 anos de formada, sendo 34 anos no serviço público de saúde, e o que eu aprendi: espaço a gente conquista! Ninguém vai chegar e te dar espaço de graça. E a gente conquista com duas coisas: com conhecimento e disciplina. As pessoas são reconhecidas naquilo que elas constroem em cima do conhecimento. Portanto, estude e se aprofunde na área que quiser, seja na assistência, no ensino, na gestão. E então você constrói seus caminhos”, aconselha Márcia.

A enfermeira participou da elaboração de diversas publicações relacionadas à saúde pública e construiu carreira como gestora da saúde pública passando por diversas funções, entre elas: superintendente de Gestão da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba.

Na Sesa/PR, já foi assessora de gabinete, superintendente de Atenção à Saúde e superintendente de Gestão de Sistemas. Atuou também como assessora técnica do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde.

Força – A Enfermagem é a maior força de trabalho em todos os serviços de saúde. Somando enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, a categoria apresenta o maior quantitativo entre os profissionais que atuam em hospitais, ambulatórios, clínicas, unidades de saúde e outros. Mas não basta ser expressiva em números, a Enfermagem – considerada ciência, arte e prática social – deve consolidar a importância da natureza da profissão para a sociedade, bem como para a organização e o funcionamento adequado dos sistemas de saúde.

“O exemplo dessas grandes mulheres e profissionais paranaenses deve inspirar a categoria, especialmente neste 2020, ano da Enfermagem deflagrado pela campanha internacional Nursing Now no bicentenário de nascimento de Florence Nightingale, precursora da nossa profissão. Tenho orgulho em destacar o trabalho de nossas lideranças, que conquistam espaços exercendo o melhor da profissão: conhecimento técnico-científico, ética, dedicação e protagonismo”, finaliza Simone Peruzzo.

Fonte: Coren-PR