20/01/2022

Disseminar o fim da pandemia é perigoso, segundo profissionais da saúde

Cerca de 73% dos brasileiros acredita em notícias falsas sobre o novo coronavírus

Em 2020, os profissionais de saúde lançaram uma carta aberta sobre disseminação de notícias falsas

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância de Saúde (Anvisa), Antonio Barra Torres, afirmou nesta quinta-feira que é “criminoso difundir mentiras” ao se referir a comentários falsos de que a pandemia de Covid-19 estaria acabando e que a variante Ômicron poderia representar o fim da crise sanitária.

“Os números não mostram isso, é criminoso buscar difundir mentiras”, disse ele, no início da reunião da diretoria colegiada da Anvisa que vai decidir se aprova o uso da vacina CoronaVac em crianças e adolescentes entre 3 e 17 anos.

Embora Barra Torres não tenha citado nominalmente ninguém, nos últimos dias o presidente Jair Bolsonaro tem feito considerações nessa linha citada pelo dirigente da Anvisa.

Barra Torres afirmou ainda gostaria de saber se as pessoas disseminadoras de fake news vão noticiar sobre o aumento de 70% de internação de crianças por Covid que tem sido registrado nos últimos dias.

Barra Torres e Bolsonaro travaram embates recentemente em razão da vacinação de crianças contra Covid e o dirigente da agência reguladora divulgou nota pedindo que o presidente o denunciasse ou se retratasse de insinuações que fez ao questionar quais interesses estariam por trás da decisão da Anvisa de autorizar a vacinação infantil com a vacina da Pfizer.

Posição do Cofen – Em 2020, o Conselho Federal de Enfermagem aderiu à campanha internacional contra fake news sobre o novo coronavírus , lançado no Brasil pela Avaaz. Cerca de 73% dos brasileiros acredita em notícias falsas sobre coronavírus, revela pesquisa da Avaaz. Exibir notícias aos que foram expostos a redes sociais falsas funciona Um estudo da George Washington University ou da Universidade Estadual de Ohio mostra que os fatores sociais falsos aderem à verificação das redes que viram uma informação que reduza a confiança na formação da confiança na metade.

 

 

Fonte: Ascom - Cofen, com informação da Reuters