26/02/2018

Força Nacional realiza megaoperação em Rondônia

Ação vai fiscalizar condições de assistência de Enfermagem em 25 instituições em Porto Velho, Ji-Paraná e Ariquemes

Ação é realizada pela Força Nacional de Fiscalização, em parceria com o Coren-RO

A Força Nacional de Fiscalização do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem (FNFIS), realiza, de 26 de fevereiro a 2 de março, a maior operação de fiscalização já feita em Rondônia. A ação, que conta com a presença de 21 fiscais, irá verificar condições de assistência de Enfermagem que impactam diretamente na Saúde da população.

As instituições de Saúde de Rondônia acumulam denúncias de irregularidades. “O objetivo da Força Nacional de Fiscalização é assegurar que todos os Conselhos Regionais tenham condições necessárias para cumprir sua missão de fiscalizar o exercício profissional de Enfermagem, garantindo condições de assistência”, explica o presidente do Cofen, Manoel Neri. As longas distâncias e a reduzida infraestrutura do Coren-RO dificultam a fiscalização.

Os fiscais vão verificar questões relacionadas ao exercício profissional, incluindo condições de trabalho – aspectos técnicos e de segurança –, identificação do exercício ilegal/irregular da Enfermagem, dimensionamento de pessoal, além de avaliar a organização do serviço de Enfermagem.

Presidente do Coren-RO, Silvia Neri, acompanha o primeiro de dia da operação

Para esta operação, foram priorizadas instituições de maior porte nas três principais cidades de Rondônia. Foram selecionadas 25 instituições em Porto Velho, em Ji-Paraná e em Ariquemes.

Atuam em Rondônia 15.655 profissionais de Enfermagem, que prestam assistência a 1,8 milhão de pessoas. Ampla maioria (13.525) atua na capital, Porto Velho.

FORÇA NACIONAL DE FISCALIZAÇÃO – FNFIS – Criada em 2016, a FNFIS já realizou ações em diversos estados brasileiros, incluindo Maranhão, Acre, Mato Grosso do Sul e Amazonas. A FNFIS realizou, ainda ação em Prata/MG – com averiguação de denúncias apresentadas ao Ministério Público Federal –, no município de Cacoal, em Rondônia. As instituições fiscalizadas apresentaram déficit de profissionais, o que compromete a qualidade da assistência. Foram constatadas, ainda, falta de materiais básicos, presença de medicamentos vencidos e diversas irregularidades no exercício profissional, acarretando riscos à população.

Fonte: Ascom - Cofen