27/03/2019

Instituições de Ensino Superior EaD fecham por falta de alunos

Cofen constatou irregulares na Operação EaD que ocorreu em 2015

Cofen lidera mobilização em defesa do ensino presencial e de qualidade

Parecer técnico emitido pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), no dia 14 de março, constatou que os cursos de graduação a distância na área da saúde estão fechando por falta de alunos. O documento aponta que os Instituições de Ensino Superior (IES) estão sendo extintos por falta de demanda no Sistema e-MEC. O número de vagas e polos atualmente é menor que o já autorizado.

“Temos a convicção de que os cursos estão sendo fechados por falta de demanda. O sistema e-MEC indica que a redução acontece por iniciativa das próprias instituições, que provavelmente não estão conseguindo preencher as vagas, até pela má qualidade do ensino”, diz a coordenadora da Câmara Técnica de Educação e Pesquisa (CTEP), Dorisdaia Humerez. “Acho que a redução reflete, em parte, a mobilização social e o nosso trabalho de conscientização sobre a importância do ensino presencial e de qualidade”.

Em 2015  a Operação EaD circulou instituições de ensino a distância de todo o Brasil, identificando polos de ensino em péssimas condições. A operação constatou até mesmo a oferta de curso não credenciados no Ministério da Educação (e-MEC). O relatório final, encaminhado ao MEC, Ministério da Saúde e Ministério Público, comprovaram a falta de estrutura. Sem laboratórios e bibliotecas sem condições mínimas de apoio, a maioria dos polos se localiza em municípios diminutos, que não oferecem sequer condições para a prática de estágio supervisionado.

O Cofen apoia o PL 2891/2015, em tramitação na Câmara dos Deputados, que regulamenta o exercício da enfermagem, para nela incluir a obrigatoriedade de formação exclusivamente presencial para os profissionais da área.

Ensino Presencial e de Qualidade – O Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem lidera mobilização em defesa do ensino presencial e de qualidade, com realização de audiências públicas em Assembleias Legislativas de todo o Brasil, campanhas de esclarecimento e atuação junto ao MEC e ao Congresso Nacional, onde apoia o Projeto de Lei 2891/2015, que exige formação presencial para os profissionais da área de Enfermagem. Os Conselhos Profissionais da Área de Saúde e o Conselho Nacional de Saúde também se manifestaram contra a graduação por EaD.

Fonte: Ascom - Cofen