27/04/2017

Seminário da Conatenf debate exame de suficiência e ensino de Enfermagem

Participantes declararam apoio ao exame de suficiência para registro de futuros técnicos de Enfermagem e à exigência de ensino presencial.

Enfermeira Maria José Bezerra, dirigente de curso, foi convidada a compor a mesa

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) recebeu, nesta quinta-feira (27/4), o 1º Seminário da Comissão Nacional de Técnicos e Auxiliares de Enfermagem (Conatenf). Com participação de entidades de ensino técnicos e representantes de Conselhos Regionais, o seminário debateu a qualidade do ensino técnico. Após palestra e amplo debate, as organizações presentes declararam apoio ao exame de suficiência obrigatório para registro de futuros técnicos de Enfermagem e à exigência de ensino presencial.

Alessandro Sahtler, diretor de Inspeção Escolar da Secretaria de Educação do Rio de Janeiro, destacou a fragilidade de certificações com base em cursos sem autorização de funcionamento e a necessidade de melhorar a vivência profissional supervisionada. A professora Maria José Bezerra, dirigente de curso de Enfermagem, reafirmou a necessidade de estabelecer parâmetros claros de qualidade.

Conselheira Nádia Ramalho abriu o seminário, representando o presidente Manoel Neri

“É fundamental que estejamos unidos, enquanto entidades, na defesa da formação dos profissionais de nível técnico”, afirmou Jefferson Caproni, da Conatenf.

O Sistema Cofen/Conselhos Regionais lidera mobilização nacional pelo ensino presencial e de qualidade, com realização de campanhas de esclarecimento e audiências públicas em todo o Brasil. O conselho apoia o Projeto de Lei 2891/2015, que proíbe a graduação enfermeiros e a formação de técnicos de Enfermagem por EaD, e o Projeto de Lei 4930/2016, que cria exame de suficiência.

 

Fonte: Ascom - Cofen