19/10/2016

Tenda Izabel dos Santos apresenta boas práticas em atenção primária

A cada uma hora, durante todo 19º CBCENF, atividades e oficinas demonstram como é possível oferecer uma assistência primária de qualidade para a população
tenda

A enfermeira obstétrica Laura Carvalho ressalta que realiza na rede pública as atividades demonstradas em oficina, com foco no vínculo mãe-bebê

É possível oferecer uma assistência primária de qualidade para toda a população. Com esta proposta, a tenda “enfermeira Izabel dos Santos” realiza, a cada uma hora, durante todo o 19º CBCENF, atividades e oficinas demonstrando como transformar este sonho em realidade. “A maioria das atividades deste ano foca a Saúde da Mulher e a atenção ao nascimento”, explica a conselheira federal Nádia Ramalho, idealizadora do espaço.

O pré-natal para mulheres em situação de rua e a microcefalia associada ao vírus da zika são alguns dos temas desta tarde (19/10). A tenda acolhe discussões de outros temas delicados, como “Paternidade e Cuidado”, tema de atividade na quinta-feira (20/10). 5,5 milhões de crianças brasileiras não têm sequer o nome do pai na certidão de nascimento, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça.

Rodas de gestantes, pintura na barriga, ioga para gestante, amamentação e dança na perspectiva do cuidado permeia a programação. A enfermeira obstétrica Laura Carvalho ressalta que realiza na rede pública as atividades demonstradas em oficina, com foco no vínculo mãe-bebê. Para Laura, o renascimento do parto já está acontecendo. “Temos a Rede Cegonha, temos um processo de humanização do parto, de mudança de ambiências e práticas. A perspectiva do profissional é essencial”, afirma.

A “história do nome” é tema de uma das oficinas para profissionais, que se tornam multiplicadores. Como a escolha do nome de um filho, o da tenda é repleto de sentidos e expectativas. A homenageada, enfermeira Izabel dos Santos, foi pioneira na contestação das desigualdades, inconformada diante da assistência de Enfermagem não condizente com as necessidades de saúde da população, com destacada militância pela qualificação dos profissionais de Enfermagem de nível médio.

Izabel dos Santos – Consagrada nacionalmente com o PROFAE – Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem, Izabel dos Santos começou a trabalhar na proposta de formação para o nível médio de Enfermagem, então considerada uma ideia radical e idealista, na década de 1980. “Havia todo um movimento – a própria 8ª Conferência Nacional de Saúde – que fazia a crítica da qualidade dos recursos humanos em saúde. Junto com isto, havia também um grande desejo de mudança. Todo mundo estava eufórico com a derrubada da ditadura e queria participar. Todo mundo acreditava que o Brasil podia ser melhor”, narrou, em artigo publicado em 2007 pela Revista de Enfermagem da USP. O sonho de Izabel está vivo na tenda do Cofen.

Fonte: Ascom - Cofen