27/01/2022

Anvisa completa 23 anos em meio a ataques negacionistas

Ato virtual em defesa da agência reuniu lideranças da saúde em comemoração aos 23 anos

Ato virtual em defesa da agência aconteceu no dia 26/01

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) chega aos 23 anos no centro do debate científico e político brasileiro. Ato em Defesa de uma Anvisa, Independente e Científica marcou, nesta quarta-feira (26), o aniversário da autarquia, responsável por controlar e fiscalizar produtos, substâncias e serviços de interesse da saúde.

O ato online da Associação dos Servidores da Anvisa (Univisa) reuniu diversas lideranças da saúde em defesa da agência, em debate com transmissão ao vivo.

Diante da maior pandemia dos últimos cem anos – desde a chamada ‘gripe espanhola’, que assolou o mundo de 1918 a 1920 – a vacina se tornou uma das grandes esperanças e vitórias da ciência para trazer conforto à humanidade. No Brasil, entretanto, o governo federal vem se posicionando contra os imunizantes.

Com atuação decisiva no combate à pandemia, pautada pelo rigor científico, a agência passou a ser alvo de ataques e tentativas de interferência. Em dezembro de 2021 a Anvisa recebeu uma série de ameaças a seus servidores em razão da autorização para vacinação infantil contra a covid-19.

“A trajetória da Anvisa é um orgulho para o Brasil e exemplo para o mundo. Repudiamos todos os ataques que os servidores vêm sofrendo. Ameaçar a Anvisa é ameaçar os princípios do SUS. Defender a autonomia técnica da Anvisa como uma instituição de defesa da saúde brasileira nunca foi tão importante como agora”, disse a presidente do Cofen, Betânia Santos.

A Polícia Federal e a Procuradoria Geral da República abriram investigação para apurar a origem dos ataques. A agência constatou que após as declarações do presidente Jair Bolsonaro (PL), durante a transmissão de uma live, na qual pretenderia divulgar o nome dos técnicos responsáveis pela aprovação da vacinação infantil, houve uma intensificação das ameaças ao órgão.

O presidente da República chegou a criticar de forma reiterada a vacinação para crianças de 5 a 11 anos, afirmando que vacina, já submetida a rigorosos testes e liberada pelo corpo técnico da Anvisa e pelas principais agencias regulatórias do mundo, fosse experimental. Relatório do Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, baseado na experiência da aplicação de 8,7 milhões de doses de vacinas em crianças, confirma a segurança, atestada também pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

Durante o ato virtual, a Univisa defendeu o compromisso da instituição em proteger a saúde da população.  “É o olhar atento e vigilante da sociedade que garantirá o respeito às prerrogativas do órgão, aos seus servidores, bem como o devido investimento governamental para que a agência avance na missão de proteger e promover a saúde dos brasileiros com excelência. A Anvisa é SUS e merece ser protegida como instituição de defesa da saúde do Brasil”, disse Renato Aragão, que conduziu a live.

 

Fonte: Ascom - Cofen