03/12/2019

Aos 92 anos, Maria José Bezerra recebe Prêmio Anna Nery

Veterana não pôde comparecer à cerimônia em Foz do Iguaçu, e recebeu o prêmio hoje (3/12) no Rio de Janeiro

Maria José recebeu premiação nesta terça-feira (3), no Rio de Janeiro

A enfermeira Maria José Bezerra, ex-presidente do Coren-RJ e uma das primeiras graduadas na área, recebeu o prêmio Anna Nery nesta terça-feira (3). Aos 92, ela não pôde comparecer à cerimônia no 22º  Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem, em Foz do Iguaçu, e se emocionou ao ser homenageada no Rio de Janeiro.

Esta comenda é uma das mais importantes instituídas pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e foi feita para homenagear profissionais que se destacam não só dentro da profissão, mas também têm contribuições como o desenvolvimento da Enfermagem no Brasil. “É com muita honra que o plenário fez a indicação para homenagear Maria José Bezerra, uma enfermeira tão importante e uma pessoa que preza pela formação de profissionais do Rio de Janeiro”, disse o presidente do Cofen, Manoel Neri.

“Enfrentamos um grande problema com a baixa qualidade na formação de profissionais de Enfermagem em boa parte das instituições de ensino, fico feliz quando vejo uma instituição mantendo um bom padrão de qualidade como este”, destacou Neri. Segundo ele, Maria José é mais que merecedora do reconhecimento do Cofen diante do excelente trabalho que tem prestado.

Conselheiros federais parabenizaram a profissional pelo trabalho prestado em prol da Enfermagem

Para Nádia Ramalho, vice-presidente do Cofen, foi muito gratificante conhecer a escola de Maria José de perto, uma obra tão grande e tão importante para a Enfermagem brasileira, que gera recursos e mobiliza a zona Oeste do Rio de Janeiro.”A Enfermagem do Rio de Janeiro se sente honrada com essa premiação”, finalizou Nádia.

Maria José deu início à sua fala agradecendo o presidente do Cofen pelo reconhecimento e indicação ao prêmio. Para ela, a educação é quem leva todo desenvolvimento de um país. “A Enfermagem é a mola-mestre da saúde e, infelizmente, ela não tem o tratamento que merece”, observou.

Durante a cerimônia, a enfermeira lembra dos 66 anos de mercado de trabalho e se diz vitoriosa em ter ajudado tantas pessoas nessa trajetória. “Foram 66 anos brigando por essa profissão, 66 anos reivindicando um salário melhor para todos, 66 anos exigindo melhores condições de educação”.

“Não conseguimos o que merecemos, mas conseguimos alguma coisa. Hoje se estamos gozando de alguns privilégios, que são poucos, foi por causa da luta das nossas colegas”, pontuou.

Paulo Murilo, colaborador do Cofen e formado pela escola da homenageada, ressaltou que é uma escola de referência e hoje como acadêmico se sente honrado.

Maria José trabalhou 66 anos como enfermeira e professora

Do Maranhão ao Rio de Janeiro – A história de Maria José começou cedo, quando ajudava seu pai na escola que mantinham na cidade e de onde surgiu a vontade de lecionar. Antes dos 18 anos, na sua terra natal, Timon, no interior do Maranhão, nordeste do Brasil, Maria José enviou uma carta ao presidente Getúlio Vargas que atendeu seu pedido por uma bolsa de estudos para cursar Enfermagem no Rio de Janeiro.

Em 1973, ela fundou o Colégio Bezerra de Araújo, que oferece cursos profissionalizantes de nível médio. Ex-presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ), por muitos anos a enfermeira fomentava a formação de profissionais de Enfermagem com seus livros de fundamentos da Enfermagem.

Em 2009, Maria José recebeu a Medalha Tiradentes, honraria concedida pelo Governo e destinada a premiar pessoas que prestaram relevantes serviços à causa pública do Estado do Rio de Janeiro. Sempre defensora da Enfermagem, a professora colaborou muito para a formação de uma Enfermagem de qualidade.

Ativa na luta pelos direitos da educação na Enfermagem, a professora Maria José reafirmou a necessidade de estabelecer parâmetros claros de qualidade do ensino para formação de enfermeiros.

Fonte: Ascom - Cofen