12/04/2022

Cofen debate empreendedorismo com o Ministério da Saúde

Na pauta do encontro, o fortalecimento da sinergia entre o governo e a Enfermagem na capacitação profissional e empoderamento para os negócios

Secretário Hélio Angotti recebeu o vice-presidente do Cofen

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), na figura do seu vice-presidente Antônio Marcos, esteve reunido na tarde desta terça-feira (12), em Brasília, com o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do governo federal, Hélio Angotti Neto.

No encontro, foram discutidas ideias surgidas no âmbito da Comissão Nacional de Inovação e Empreendedorismo (CNIE) do Cofen e maneiras de integrar as ações de governo e do conselho para um maior empoderamento da Enfermagem nos negócios.

De acordo com Antônio Marcos, a classe tira de sua própria prática profissional conceitos a serem aplicados ao empreendedorismo na Saúde, concretizados especialmente na abertura de clínicas e de consultórios. “Como convivemos 24 horas com o paciente, brotam ideias desta vivência que podem mais tarde ser aplicadas”, exemplificou.

Foi apresentado como um exemplo bem-sucedido de capacitação a Plataforma Cofen Play, que agrega conteúdos de educação produzidos para a Enfermagem e disponíveis por demanda, o que facilita o acesso ao profissional plantonista. Antônio Marcos ainda mencionou o programa Enfermagem Solidária para a integração e sinergia de ações como o Ministério da Saúde.

O secretário Hélio Angotti Neto manifestou interesse em qualificar o ensino em Saúde com o apoio de plataformas digitais, parcerias para negócio com entidades como o Sebrae e programas como o “Inova SUS”, além do apoio de materiais audiovisuais disponíveis digitalmente, para oferecer educação voltada ao empreendedorismo.

“O Ministério se preocupa com um ensino de qualidade, o que é uma pauta em comum com a Enfermagem: a qualidade da graduação. É do nosso interesse apoiar o ensino superior de qualidade”, pontuou. Angotti ainda declarou que é do interesse da gestão da Saúde manter o profissional da Enfermagem “protegido, bem amparado e seguro” para empreender.

O encontro terminou com o compromisso de organizar, em um futuro próximo, um evento para a divulgação das melhores práticas envolvendo secretarias do Ministério da Educação e a criação de uma câmara de compartilhamento de conhecimento e a formalização de parcerias.

Segurança jurídica e fortalecimento institucional – O direito a empreender e ter o próprio negócio é respaldado pela Lei do Exercício Profissional (Lei 7.498/86), que assegura a autonomia do enfermeiro, e regulamentado pelas Resoluções 358/19, 568/18 e 606/19, do Cofen. Já prevista e autorizada em legislações anteriores, as consultas de Enfermagem ganharam força com a Resolução Cofen 568/2018, que normatiza o funcionamento de clínicas e consultórios.

Em 2021, o Cofen criou Grupo de Trabalho que deu origem ao CNIE, formado por pesquisadores e especialistas, para dar apoio institucional aos profissionais de Enfermagem que desejam empreender e propor soluções inovadoras na Saúde

Fonte: Ascom - Cofen