11/12/2019

Conselheira do Coren-SC recebe Comenda Zilda Arns no Senado Federal

Na tribuna do Senado Federal, Evangelia dedicou a homenagem aos colegas da Enfermagem

A vice-presidente do Cofen, Nádia Ramalho, esteve presente na premiação

O Senado promoveu nesta terça-feira (10/12) a sessão especial para a premiação da Comenda Zilda Arns. Foram condecoradas nesta primeira edição cinco pessoas e cinco instituições, indicadas pelos senadores pela sua atuação na promoção de ações e atividades destinadas à proteção da criança e do adolescente no Brasil. A conselheira do Coren-SC e professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Evangelia Kotzias Atherino dos Santos, foi indicada pelo senador Esperidião Amin pela sua atuação na área da Saúde da Criança e Aleitamento Materno. Com experiência na assistência, mas também na pesquisa e extensão, tendo desenvolvido projetos como o Hospital Amigo da Criança realizado em todo o país.

Na tribuna do Senado Federal, Evangelia dedicou a homenagem aos colegas da Enfermagem. “Zelamos pela saúde das crianças e aqui lembro do excelente trabalho realizado por Zilda Arns, com quem tive a oportunidade de trabalhar em alguns momentos. O sentimento é de gratidão e agradeço o senador Esperidião Amin pela indicação e à deputada Ângela Amin pelos trabalhos que desenvolvemos juntas nesta área. É um momento muito especial e estendo esta homenagem aos mais de 2 milhões de profissionais de Enfermagem no Brasil e 60 mil profissionais de Enfermagem de Santa Catarina”, disse emocionada. A presidente do Coren-SC, Helga Regina Bresciani, acompanhou a solenidade ao lado dos familiares da conselheira, assim como a vice-presidente do Cofen, Nádia Mattos Ramalho, que também prestigiou a homenagem.

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), presidente do Conselho da Comenda, ressaltou que a homenagem é uma forma de reconhecimento público ao trabalho de pessoas e organizações que dão continuidade a atividade realizada pela fundadora da Pastoral da Criança,  Zilda Arns (1934-2010). “Ela foi um exemplo de dedicação e de amor ao próximo, sobretudo aos mais frágeis. Suas ações demonstram que para fazer o bem bastam boa vontade e o firme desejo de servir”, afirmou.

Na tribuna do Senado Federal, Evangelia dedicou a homenagem aos colegas da Enfermagem

Homenagem – As instituições homenageadas foram a Associação de Diabetes Infantil; a Casa Azul Felipe Augusto; a Catedral de Nossa Senhora da Conceição de Campina Grande; o Hospital Pequeno Príncipe; e o Núcleo de Amparo ao Menor.

Já as personalidades que receberam a condecoração foram Alice Thümel Kuerten, Evangelia Kotzias Atherino dos Santos, José Antônio Borges Pereira, Miguel Antônio Orlandi e Tânia Mara Garib. O indicado Divaldo Pereira Franco, por motivos pessoais, receberá a comenda em outra data.

Para Miguel Antônio Orlandi, conhecido pelo seu trabalho na formação de crianças e adolescentes das periferias, muito mais que uma homenagem, no entanto, a comenda é uma forma de dar visibilidade à causa e às crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. “Hoje, pode não parecer, mas vocês estão dando voz às instituições e para nós. E é uma voz que vai voltar para lá com eco, tenho certeza, para ser voz daqueles tantos e tantas de quem a voz já foi roubada. Tenho certeza de que milhões de crianças, adolescentes e jovens dependem da sensibilidade e da visão de vocês”, disse.

O procurador de Justiça José Antônio Borges Pereira disse que Zilda Arns foi uma grande personalidade do terceiro setor, com a Pastoral da Criança. O momento, no entanto, para Pereira, tem sido delicado para as Ongs, que, têm sido “demonizadas” perante a opinião pública. Para ele, o reconhecimento é importante para que se reverta essa imagem de organizações que desenvolvem trabalhos de extrema importância social, disse. “Esse país não está pior do que poderia estar graças à sociedade civil organizada. Então, essa homenagem não é para mim. Essa homenagem é principalmente para o terceiro setor, que sempre foi companheiro e parceiro do Ministério Público”, afirmou.

Sobrinho de Zilda Arns, senador Flávio Arns (Rede-PR), disse que, ao fundar a Pastoral da Criança em 1983, em Florestópolis no Paraná, sua tia tinha como objetivo orientar e acompanhar as famílias vizinhas em ações básica de saúde, educação, nutrição e cidadania. O trabalho tomou grandes proporções e de, tão relevante, se espalhou. Atualmente, é realizado em todos os estados brasileiros e em outros 10 países da África, Ásia, América Latina e Caribe, contou. “Ela usava uma frase bonita em que dizia: ‘Nunca devemos complicar o que pode ser pode ser feito de maneira simples’. Então, era o soro caseiro, cozinha alternativa, farmácia alternativa, farinha multimistura. Isso mudou, salvou crianças e adolescentes aos milhares no Brasil”, lembrou o senador Flávio Arns.

Fonte: Coren-SC