10/06/2022

Coren-MT realiza desagravo em favor de profissionais ofendidos por médico

Uma sessão solene será realizada na cidade para leitura da nota enviada ao agressor

Médico já foi denunciado duas vezes por desrespeito à profissionais da Enfermagem

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) aprovou, nesta quinta-feira (2/06), um desagravo público contra um médico do município de Barra do Garças, que deferiu insultos verbais contra profissionais da Enfermagem. Para cumprir o desagravo será realizado uma sessão solene na cidade para leitura da nota enviada ao agressor.

O médico já foi denunciado duas vezes por desrespeito à profissionais da Enfermagem e agressões verbais. A primeira, em dezembro de 2020, ocorreu quando ele ainda trabalhava no Hospital Municipal de Barra do Garças. Na ocasião, por uma divergência sobre leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ele chamou uma enfermeira de “poço de preguiça” e disse que os profissionais eram “um bando de incompetentes”. A segunda denúncia ocorreu em julho de 2021, quando afirmou que os profissionais da Enfermagem eram “carniças incompetentes” após negarem medicação em razão da segurança da paciente.

O médico denunciado chegou no hospital aos gritos e alegou que os enfermeiros deveriam apenas obedecer as ordens médicas. Segundo os profissionais da Enfermagem que trabalhavam no plantão, a paciente já havia recebido sedação uma vez e uma nova medicação desse tipo poderia provocar rebaixamento do padrão neurológico e respiratório, por isso era necessário uma nova avaliação médica.

Durante a discussão, que foi presenciada pelos trabalhadores e pacientes, ele afirmou que os profissionais da Enfermagem eram um “bando de carniças incompetentes” e que iria rasgar seus registros profissionais.

Este é o segundo desagravo público aprovado pelo Coren-MT. Esse instrumento serve para resguardar a dignidade do profissional, protegendo o ofendido e toda a categoria.

A relatora do processo e presidente do Coren-MT, Lígia Arfeli, reforçou que o código de ética médica diz que é dever do médico tratar todas as pessoas com civilidade e consideração, sejam elas profissionais da saúde ou pacientes. “A ação deste médico não ofendeu apenas as enfermeiras e suas equipes, mas também o exercício da profissão. Ele ofendeu, denegriu e maculou a profissão da Enfermagem e suas prerrogativas”, afirma Lígia.

Em trecho do relatório, o Coren-MT ressalta que repudia as declarações do médico e toda e qualquer atitude semelhante à categoria da Enfermagem no exercício da profissão.

Fonte: Coren-MT