14/02/2020

Enfermagem tem papel fundamental no combate ao coronavírus

Confira orientações de especialistas

O plenário do Cofen aprovou nesta sexta-feira (14/2) nota técnica sobre o coronavírus (Covid-19). O documento, elaborado pela Comissão de Atenção à Saúde (CTAS), traz orientações aos profissionais de Enfermagem sobre a nova doença  e como lidar com uma possível chegada ao Brasil. Acesse a íntegra da Nota Técnica sobre o covid-19 e confira a recomendação os profissionais e os parâmetros para definição de caso suspeito.

A Enfermagem tem um papel fundamental na detecção e avaliação dos casos suspeitos, não apenas em razão de sua capacidade técnica, mas também  por se tratar da maior categoria profissional de Saúde, e a única que está 24h ao lado do paciente. Na China, epicentro da doença, os profissionais de Enfermagem vêm enfrentando longas jornadas para conter a epidemia.

É imprescindível que os profissionais de Enfermagem se vacinem contra gripe e estimulem a adesão às campanhas de vacinação. A vacinação dos grupos prioritários contribuirá para redução de casos suspeitos e para evitar a sobrecarga dos serviços de saúde, uma vez que os sintomas são similares. O coronavírus pode ficar encubado por duas semanas. A doença tem sintomas respiratórios, como febre, tosse e falta de ar, e pode levar ao desenvolvimento de pneumonia grave.

Medidas preventivas devem ser intensificadas para que no inverno brasileiro as pessoas possam estar menos suscetíveis ao vírus, já que no período as pessoas tendem a ficar mais tempo em ambientes fechados, o que aumenta o risco de transmissão.

Cabe às instituições da Saúde garantirem a estrutura e materiais necessários para o manejo de casos, garantindo aos profissionais de Enfermagem uma atuação segura e livre de riscos à sociedade, conforme estabelece o Código de Ética.

Panorama – O surgimento da doença levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional. A epidemia já afetou cerca de 63 mil pessoas na China. Balanço divulgado pela OMS hoje (14/2) relata 1.381 mortos na China (incluindo um no território semiautônomo de Hong Kong) e 2 mortes fora da China.

Porta-voz da OMS afirmou hoje que não há “aumentos dramáticos de transmissão fora da China”. Não há casos confirmados no Brasil. O Ministério da Saúde informou nesta semana que sete casos estão sendo investigados – 32 casos suspeitos já foram descartados.

 

 

Fonte: Ascom - Cofen