31/03/2022

OMS divulga novas diretrizes de cuidados no pós-parto

Período de 45 dias é considerado crítico para a sobrevivência de mães e bebês

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou nesta semana novas diretrizes para apoio às puérperas e aos bebês nas primeiras seis semanas após o nascimento. As orientações incluem amamentação, informações de apoio aos pais e a realização de pelo menos três exames no pós-Natal, entre os 63 itens – aproximadamente 30 inéditos.

O período de 45 dias é considerado chave na garantia da sobrevivência e qualidade de vida, tanto do recém-nascido como de sua mãe, e no desenvolvimento saudável de uma nova vida, tanto na parte da recuperação e bem-estar físico e mental da mulher como do bebê. Atualmente, 30% das mães em todo o mundo não recebem cuidado pós-parto, momento no qual ocorrem a maioria das mortes de mães e bebês.

As diretrizes orientam sobre os cuidados com o bebê e a puérpera, incluindo exames e medidas de alívio para situações comuns no pós-parto, como dor no períneo e ingurgitamento dos seios na apojadura (descida do leite). É preferível orientação sobre dieta laxativa, para tratamento de constipação no pós-parto, ao uso indiscriminado de laxantes. Integram as recomendações o uso de instrumentos de triagem para identificar depressão pós-parto e ansiedade.

Enfermeiro obstétrico Thiago Fiel presta assistência à parturiente. A Enfermagem realiza papel fundamental na promoção do cuidado da mulher e da família

O documento destaca, ainda, a importância da participação dos parceiros nas consultas e no apoio aos cuidados com o bebê,  e do aconselhamento sobre aleitamento materno, e do acesso à contracepção pós-natal. A OMS já recomendava intervalo mínimo de 12 a 18 meses após o parto para nova gestação.

O adiamento, em pelo menos 24h, do primeiro banho do recém nascido é recomendado para prevenir hipotermia. As diretrizes recomendam que os primeiros exames sejam feitos ainda na maternidade, e fornece informações que devem balizar a saída da mãe e do bebê. O período necessário deverá ser determinado caso a caso, levar em conta as condições sociais, a história do parto e outras condições de saúde. Cuidados extras, com visita de profissionais de Saúde, são recomendados para mulheres e recém-nascidos saudáveis entre dois e três dias, entre uma e duas semanas e ao longo da sétima semana de vida em diante.

A Enfermagem obstétrica tem um papel fundamental nos cuidados ao recém-nascido e à mulher no pós-parto, em especial no manejo do aleitamento materno. O professor Herdy Alves, coordenador da Comissão Nacional de Saúde da Mulher do Conselho Federal de Enfermagem (CNSM/Cofen), destaca que “apoio à amamentação passa pelo cuidado com a recém mãe”. “A enfermeira deve avaliar também o bem-estar físico e mental da mulher, promovendo o cuidado da família e identificando situações que demandam encaminhamento específico”, afirma Herdy.

Confira a íntegra das diretrizes da OMS.

 

Fonte: Ascom - Cofen