11/04/2022

Parto, envelhecimento e internação compulsória são temas de documentários

Filmes foram incorporados ao selo Fiocruz Vídeo e estão disponíveis online

Três documentários consagrados passam a integrar o catálogo do selo Fiocruz Vídeo. A beleza do crepúsculo, fruto de um projeto de pesquisa realizado numa clínica da família no Rio de Janeiro, lança um olhar sobre o envelhecimento e dá voz plena a idosos. Em Simbiose, somos apresentados ao ofício de uma parteira pelas mãos de Dona Prazeres. Em Os melhores anos de nossas vidas, relançamento do Selo que volta ao catálogo depois de dez anos, temos um mergulho fundo e com sensibilidade nas comoventes histórias de moradores de uma colônia de hansenianos do interior de São Paulo.

Dois deles, Simbiose e A Beleza do Crepúsculo, chegam ao público com versões com acessibilidade – Audiodescrição e Libras – e legendas em outras línguas. O selo Fiocruz Vídeo chega, assim, a 48 títulos em seu catálogo. São filmes em curta, média e longa-metragem que procuram abordar temas de saúde coletiva e ciência visando ampliar o debate qualificado e contextualizado, dar lugar e espaço a assuntos com pouca oferta audiovisual ou carência de espaço na imprensa ou que tratam de questões e pessoas e territórios invisibilizados. Documentários, animações, dramas, biografias e filmes históricos estão entre a produções já lançadas pelo selo.

Conheça os lançamentos

Simbiose 

Uma conversa com Maria dos Prazeres de Souza, conhecida como Dona Prazeres, parteira tradicional, cuja trajetória de saberes é uma “simbiose” entre o tradicional e o contemporâneo, entre o popular e o biomédico, entre mundos e realidades contrastantes mantendo uma constante incorporação e construção de saberes.

A beleza do crepúsculo 

Retrata a vida de alguns dos moradores do Morro do Dendê, Rio de Janeiro, onde falam sobre o envelhecimento, compartilham suas perspectivas sobre vida e morte, suas saudades, alegrias e memórias. Trata-se de um convite à reflexão acerca da complexidade e subjetividade do envelhecimento.

Os melhores anos de nossas vidas  

Histórias de preconceito, abandono e superação são contadas pelos moradores do Santo Ângelo, uma cidade erguida para o tratamento dos hansenianos. O testemunho humano dos moradores remanescentes revela as marcas que ficaram do tempo em que a internação era compulsória. Condenados ao isolamento de uma vida inteira, encontraram no amor e na revolução, na música e no cinema as principais armas para enfrentar seus dramas pessoais.

 

Fonte: ICICT/Fiocruz