02/12/2022

Cofen participa do II Colóquio Ibero-Americano de Saúde e Educação

Presidente e coordenador de comunicação do Cofen comandaram palestra sobre desafios na formação de Enfermagem no Brasil

Presidente do Cofen também apresentou iniciativas do Cofen em prol da formação qualificada em Enfermagem

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) participou, nesta quinta-feira (1/12), do II Colóquio Ibero-Americano de Saúde, Educação e Representações Sociais. Com a palestra “Desafios na Formação de Enfermagem no Brasil: ações e estratégias do Cofen”, a presidente e o coordenador de comunicação da autarquia, Betânia Santos e Neyson Freire, apresentaram os problemas que cercam a qualificação de enfermeiros, técnicos e auxiliares no país.

A segunda edição do Colóquio Ibero-Americano acontece na cidade de João Pessoa (PB) e possui o tema “Futuros pós-pandemia e novos modus relacionais no contexto da saúde e da educação”. O evento é promovido pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e pela Universidade de Évora, em Portugal. O Cofen, em conjunto com outras sete instituições de ensino, auxiliou nas atividades de apoio.

A Enfermagem no Brasil enfrenta inúmeros desafios no campo da formação profissional, como a ausência de estruturas mínimas nos polos presenciais, inclusive bibliotecas e laboratórios para a prática. 

500 enfermeiros já foram selecionados nos três editais lançados pelo Profen

Outras dificuldades estão relacionadas à democratização do acesso ao ensino superior e à existência de cursos clandestinos. A Operação EaD do Cofen, realizada em 2015, revelou cursos de graduação em Enfermagem operando sem autorização do MEC. Também há um descompasso entre oferta de cursos e as necessidades da Saúde Coletiva no país.

Betânia Santos apresentou um panorama sobre o cenário de formação em Enfermagem no Brasil. “A multifuncionalidade, que é uma característica da nossa formação profissional, possibilita a atuação em todos os processos e procedimentos do SUS, como gestão, coordenação de políticas como o Estratégia Saúde da Família, gerenciamento e a assistência. A categoria é, portanto, ponto nevrálgico de qualquer sistema de Saúde”, destacou.

O Cofen tem atuado fortemente no combate ao EaD na graduação em Enfermagem, defendido a qualidade na formação e implementado programas voltados à formação e atualização em Enfermagem. Entre as iniciativas, está o Mestrado Profissional Cofen/CAPES (Profen), lançado em 2016.

Evento é promovido pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade de Évora, em Portugal

O programa tem a finalidade de apoiar financeiramente programas de pós-graduação da área de Enfermagem, na modalidade de mestrado profissional, visando propiciar a formação de enfermeiros altamente especializados. 500 enfermeiros foram selecionados nos três editais lançados pelo Profen.

O II Colóquio Ibero-Americano continua nesta sexta-feira (2/12) com mesas redondas, simpósio, apresentações de trabalhos e vasta programação.

Fonte: Ascom - Cofen