18/08/2021

Cofen realiza oficina sobre Prática Integrativas e Complementares

Encontro busca ampliar e fortalecer Práticas Integrativas e Complementares; enfermeiros são os profissionais que mais estudam e aplicam PICs no SUS

As Pics englobam técnicas milenares para promoção da Saúde

O Conselho Federal de Enfermagem realizou, nesta terça-feira (18/08), oficina sobre as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde – as PICS. O evento teve transmissão ao vivo, garantindo a segurança de todos durante a pandemia. Durante a live, houve o debate sobre os eixos estratégicos para promoção das PICs, além do fortalecimento das práticas para a saúde e bem-estar.

Cláudia Ferreira, coordenadora das comissão PICs, fez uma análise sobre a trajetória do grupo de trabalho desde a criação da Câmara Técnica em Terapias Alternativas, no ano de 2006, passando pela criação do Grupo de Trabalho em 2016 até os dias atuais, com o trabalho da Comissão de PICs. “Hoje, estão presentes todos os parceiros que possuem afinidade com as PICs para discutir o futuro dessas práticas milenares de diferentes culturas que se permeiam em um modelo de cuidado e atenção à saúde, bem próximos a Enfermagem no Brasil”, explicou Cláudia.

“A união e a diversidade de ideias é que faz as coisas acontecerem. Portanto, essa ideia de unir os trabalhos entre Cofen, conselhos e ministério da saúde é o que vai trazer respaldo para as práticas integrativas”, afirma a enfermeira doutora da Sociedade Brasileira de Enfermagem de Feridas e Estética, Roselaine Muner.

No Brasil, o grupo de trabalho das PICs engloba 10 estados e mais o Distrito Federal. Os eixos de promoção das práticas integrativas para ampliar as áreas de atendimento, além de iniciar um monitoramento e promover novos cursos de formação nas diversas Práticas Integrativas e Complementares em Saúde.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a prática de medicinas milenares e alternativas. Dos 194 países que integram a OMS, 170 já reconhecem tais práticas. Até 2018, 50% dos 194 países haviam desenvolvido políticas para utilização de tais práticas, com 124 dos estados membros que já possuem leis ou regulamentos para medicamentos fitoterápicos.

Base Legal – As terapias integrativas e complementares, que utilizam técnicas milenares para promoção da Saúde, tratamento e reabilitação, têm respaldo nas Portarias MS 971/2006, que instituiu a PNPIC, e nas portarias 849/2017 e 702/2018, que ampliam o escopo de práticas. Várias PICs já estão entre as especialidades de enfermeiros reconhecidas na Resolução Cofen 581/2018.

A live contou com a participação da Comissão de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CPICs), da Sociedade Brasileira de Enfermagem de Feridas e Estética (SOBENFeE) e ainda a Associação Brasileira de Enfermeiros Acupunturistas e Enfermeiros de Práticas Integrativas (ABENAH).

Fonte: Ascom - Cofen