PARECER Nº 03/2015/CTAS/COFEN

Significado do item “500” (quinhentos), na fórmula da Taxa de Absenteísmo, constante no anexo II, da Resolução Cofen 293/2004.

Legislação Rápida

Preencha os campos abaixo e faça a consulta na legislação

PAD COFEN N°621/2012

PARECER DE CONSELHEIRO N° 216/2015

INTERESSADO: Câmara Técnica de Assuntos Profissionais/COREN-GO

 

I. DO PEDIDO DE VISTA:

 Por deferimento do Presidente do Cofen, Doutor Manoel Carlos Neri da Silva, o presente parecer resulta do pedido de vistas desta Conselheira, ao Parecer n°03/CTA/COFEN, referente ao significado do item “500” (quinhentos), na fórmula da Taxa de Absenteísmo, constante no anexo II, da Resolução Cofen 293/2004, que Fixa e Estabelece Parâmetros para o Dimensionamento do Quadro de Profissionais de Enfermagem nas Unidades Assistenciais das Instituições de Saúde e Assemellhados.

  II. HISTÓRICO:

Em 03 de setembro de 2012, a Presidente do Coren-GO, à época, Dra. Maria Salete Silva Pontieri Nascimento, por meio do Ofício n° 85/2012/Gab/Presidência/Coren-GO, encaminhou solicitação à Presidência do Cofen, sobre posição deste Conselho Federal quanto ao significado do item “500” (quinhentos) na fórmula da Taxa de Absenteísmo, contida no anexo II, da Resolução Cofen 293/2004, tendo em vista que a origem ou razão pela qual este algarismo faz parte da referida fórmula, não está clara.

Em 20 de setembro de 2012, a Secretaria Geral do Cofen, por meio de despacho presidencial, encaminhou o PAD Cofen 621/2012, à Coordenação da Câmara Técnica de Atenção à Saúde- CTAS/Cofen, solicitando sua manifestação sobre o assunto.

Somente em 08 de julho de 2015, sob nova coordenação, a CTAS/Cofen encaminhou por meio do memorando n° 06/2015/CTAS/Cofen, o Parecer Técnico CTAS n° 03/2015, sobre a consulta anteriormente solicitada.

Em 12 de agosto de 2015, o Parecer Técnico CTAS n° 03/2015, foi apreciado na 468ª Reunião Ordinária de Plenário (ROP), onde foi aprovada a concessão de vista aos autos à esta Conselheira Federal, onde na mesma data, foi encaminhado despacho presidencial à Secretaria Geral do Cofen para edição de Portaria.

Em 17 de agosto de 2015, o Presidente do Cofen, Doutor Manoel Carlos Neri da Silva, por meio da Portaria Cofen n° 1.118/2015, concedeu vistas aos autos do PAD Cofen 611/2012, a esta Conselheira.

III. FUNDAMENTAÇÃO E ANÁLISE

No Parecer n° 03/2015, a Câmara Técnica de Assistência à Saúde (CTAS/Cofen), inicialmente, faz menção à Lei 5.905/73, sobre a competência precípua dos Conselhos Regionais de Enfermagem no disciplinamento e fiscalização do exercício profissional de Enfermagem, em consonância com as diretrizes gerais do Conselho Federal de Enfermagem.

A seguir tece orientações sobre o cálculo de dimensionamento de pessoal de enfermagem, contidos na Resolução Cofen 293/2004, que Fixa e Estabelece Parâmetros para o Dimensionamento do Quadro de Profissionais de Enfermagem nas Unidades Assistenciais das Instituições de Saúde e Assemellhados, sobre a utilização da Taxa de Absenteísmo, como indicador, demonstrando, para tanto, a fórmula de cálculo desse indicador paramétrico.

No que se refere ao significado do item “500” (quinhentos), na fórmula da Taxa de Absenteísmo, a CTAS/Cofen expressou-se da seguinte forma: “esse número é uma constante, e que devido a isso, não poderá ser retirado da fórmula”.

Dessa forma, a CTAS/Cofen conclui que “para a utilização da fórmula em questão, deve-se entender o número 500 (quinhentos) como uma constante”, e sugere que o consulente, caso queira, poderá adotar outras formas alternativas para o cálculo de pessoal de enfermagem, indicando a consulta a:

  1. Gaidzinski RR. Dimensionamento de pessoal de enfermagem em instituições hospitalares [tese de livre docência]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 1998.
  2. Fugulin FMT. Dimensionamento de enfermagem: avaliação do quadro de pessoal de enfermagem nas unidades de internação de um hospital escola [tese]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2002.

A Resolução Cofen 293/2004 e seus anexos I, II, III e IV, estabelecem os parâmetros para dimensionar o quantitativo mínimo dos diferentes níveis de formação dos profissionais de enfermagem, para a cobertura assistencial, nas instituições de saúde (Art. 1°, Res. Cofen 293/2004)

Os referidos parâmetros representam normas técnicas mínimas, constituindo-se em referências para orientar gestores e gerentes das instituições de saúde no planejamento, programação e priorização das ações de saúde a serem desenvolvidas (§1°, Art. 1°, Res. Cofen 293/2004).

Dentre esses parâmetros, consta o Índice de Segurança Técnica (IST), que é um valor percentual destinado à cobertura das taxas de absenteísmo e de ausências de benefícios, ou seja, à cobertura das ausências ao trabalho previstas ou não.

A fórmula para o cálculo do IST é:

IST = TA + TB

TA= Taxa de absenteísmo

TB= Taxa de ausências por benefícios

A Resolução Cofen 293/2004, em seu anexo III, conceitua a taxa de absenteísmo relativa às ausências não programadas ao trabalho, em um determinado período (mês), como por exemplo: licenças médicas, licença nojo, etc.

Adicionalmente, a taxa de ausências por benefícios são as ausências programadas decorrentes de benefícios, tais como: férias, licença prêmio, etc.

Para o cálculo da Taxa de Absenteísmo, o Professor Antonio Marinho desenvolveu a seguinte fórmula:

TA= 500 x [ (6FM1) + (8FM) + (12FP) ]

                   JST x TF x TD

 TB=       TDUA  x 100

                TD x TF

Onde:

FM = número de faltas em escalas de 8 horas

FM1= número de faltas em escalas de 6 horas

FP =   número de faltas em escalas de 12 horas

JST = Jornada Semanal de Trabalho

TF = Total de funcionários do setor

TD = Total de dias úteis no período de apuração

TDUA = Total de dias úteis de ausência no período

Segundo o Professor Doutor Antonio Marinho, desenvolvedor da fórmula do cálculo da taxa de absenteísmo, a respeito do número 500 (quinhentos), constante na referida fórmula, trata-se de um arranjo matemático, que significa o desdobramento do número 5 (cinco), que corresponde aos 5 (cinco) dias úteis da semana, multiplicado por 100, uma vez que a taxa é expressa em valores percentuais.

Dessa forma, o número 5 (cinco) multiplicado pelo número 100 (cem) é igual a 500 (quinhentos).

IV. PARECER

 Diante ao exposto, conclui-se que o número “500” (quinhentos), constante na taxa de absenteísmo, significa a multiplicação dos 5 (cinco) dias úteis da semana pelo número 100 (cem), uma vez que a referida taxa é expressa em percentual.

SMJ, é o Parecer.

Brasília, 04 de setembro de 2015.

 

ELOIZA SALES CORREIA
Conselheira Federal- Cofen
Coren-DF 32.364-ENF