12/11/2019

Simulação de acidente reúne profissionais para atualização de técnicas de urgência e emergência

Com precisão realística a ação apresentou técnicas e evidências científicas da Enfermagem a partir do método Start

Congressistas se reuniram na tarde desta quarta-feira (12) na simulação

Mais de 350 pessoas se reuniram na tarde desta terça-feira (12/11), em frente ao centro de convenções, em Foz do Iguaçu, para promover uma das maiores simulações realísticas com múltiplas vítimas já vista no Paraná. A ação, que encenou um acidente envolvendo um carro de passeio e um ônibus, foi realizada pela Comissão Nacional de Urgência e Emergência do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e integra a programação do 22º Congresso Brasileiro dos Conselhos Regionais de Enfermagem (CBCENF).

Coordenador da Comissão, o conselheiro federal Luciano Silva, elogiou as atividades do resgate, que aderiu ao método Start de classificação de gravidade de risco dos pacientes. “As ações são todas ordenadas pelo posto de comando que direciona o atendimento e a organização de cada movimento de um resgate de grande porte como este”, explicou Luciano ao apresentar as medidas tomadas para garantir o socorro correto aos 86 voluntários que atuaram como vítimas do sinistro.

O comandante do incidente, capitão Castro, destacou que o simulado foi o mais realístico que ele já participou nos 17 anos que está no bombeiro de Foz do Iguaçu. “Neste simulado conseguimos fazer uma integração do tríplice fronteira, marinha, exército, aeronáutica, Samu e corpo de bombeiros”.

Segundo ele, o encontro promoveu integração e cooperação, o qual reuniu todos os órgãos da cidade responsáveis pela urgência e emergência. Além de proporcionar a montagem do posto de comando com a correta destinação de demanda.

“A Cooperação e a Integração foram as marcas deste grande Simulado Internacional de Incidentes de Múltiplas Vítimas. Conseguimos demonstrar a força Operacional de Resposta às Emergências que a Tríplice Fronteira possui, em especial as Equipes de Foz do Iguaçu”, ressaltou Eduardo Fernando, membro da Comissão que participou da organização.

A simulação durou cerca de 1 hora e seguiu todos os protocolos de resgate de acidentes com vítimas graves

A simulação durou cerca de 1 hora e seguiu todos os protocolos de resgate de acidentes com vítimas graves. “Aqui cumprimos todos os detalhes em relação à técnica, imobilização e transporte das vítimas”, explicou Sérgio Martuchi, integrante da Comissão de Urgência e Emergência.

Para garantir o realismo da simulação a equipe organizadora contou com o apoio do Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Defesa Civil, SAMU, Ecocataratas, Marinha, Exército, Aeronáutica, Polícia Militar do Paraná, Polícia Rodoviária Federal, além das secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

Fonte: Ascom - Cofen